A importância do pilates para gestantes

Pilates para gestantes

Pilates para gestantes

A importância do pilates para gestantes

Para entendermos a importância do pilates para gestantes, é preciso entender e esclarecer alguns pontos. No post de hoje, trouxemos algumas informações fundamentais para você ficar por dentro do assunto e correr para se matricular!

Hoje, você irá descobrir porquê praticar pilates durante a gestação, quais os exercícios praticados nas aulas em cada trimestre e quais os principais benefícios do pilates para gestantes. Além é claro, de informações importantes sobre as contraindicações e quais são os cuidados que devem ser tomados ao praticá-lo. Bora lá?

De um modo geral, quando engravidamos passamos por diversas mudanças. Não somente hormonais e emocionais, como também físicas. Afinal, estamos gerando uma nova vida dentro de nós, não é mesmo?

Algumas das mudanças físicas que podemos citar por cima são: alteração do centro de gravidade, aumento da curvatura lombar, rotação da pelve e inúmeras outras mudanças posturais. Essas mudanças, podem causar desconfortos e incômodos na gestante, e é aí que o pilates para gestantes atua.

Além do mais, a prática do pilates para gestantes são uma ótima forma de se manter ativa durante a gestação e podem ser praticados desde o primeiro trimestre de gravidez. Sendo inclusive, exercícios excelentes para fortalecer e tonificar os músculos do corpo todo. Aliviando assim, os incômodos causados pelas alterações físicas citadas anteriormente e preparando a gestante para o grande dia.

Porque praticar pilates durante a gestação?

Em suma, os benefícios do pilates para gestantes são inúmeros e por si só já seriam um bom motivo para pratica-lo. Mas, se você ainda está em dúvida do porquê praticar pilates durante a gestação, este é o tópico certo para você.

Antes de mais nada, vamos retroceder um pouquinho para entendermos como surgiu o pilates. O pilates é considerado como um dos melhores métodos de reabilitação e foi criado mais ou menos no ano de 1920, pelo alemão Joseph Pilates. Seria quase impossível falar sobre o surgimento do método sem comentar sobre a história de seu criador. Afinal, foi por conta da sua história de vida que o método nasceu.

Joseph Pilates era uma criança doente e sofria de doenças como asma, raquitismo e febre reumática. Crente na auto cura, Joseph se aprofundou em conhecimentos em áreas médicas como anatomia, biologia, física e fisiologia milenar chinesa. Além de se basear em atividades físicas que praticava como yoga, natação, musculação e boxe. Esses conhecimentos, permitiram que mais tarde criasse um método com inúmeros exercícios capazes de reabilitar e melhorar qualquer patologia.

Precipuamente, o pilates tem como base o conceito de contrologia e segundo o seu criador: “é o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo”. Em suma, é montado com base em seis princípios: respiração, alinhamento, concentração, controle, fluência e eficiência dos movimentos.

Utilizado para diversas finalidades, o método inclui uma sessão especial para as novas mamães. Onde, os exercícios de pilates para gestantes ajudam-nas a suportar melhor o peso da barriga, a melhoram sua postura e equilíbrio. Amenizando assim, as grandes alterações estruturais e aliviando os incômodos causados. Além disso, muitas mamães relatam uma melhora significativa na disposição e mais energia para encarar o dia a dia após as sessões.

Exercícios em foco na aula de pilates para gestantes de acordo com cada trimestre

Precipuamente, as aulas de pilates para gestantes são montadas de acordo com a individualidade e condição física da gestante. Desta forma, os exercícios escolhidos são selecionados de acordo com o perfil da praticante. O que por sua vez, garante maior segurança para a nova mamãe ao executar os movimentos.

O tipo de exercício também varia de acordo com o trimestre de gestação que a nova mamãe se encontra. Assim, os benefícios podem ser aproveitados com maior eficiência. Confira a seguir, quais são os exercícios indicados para cada trimestre e como funcionam.

Primeiro trimestre

No primeiro trimestre de gestação nem todas as mamães são liberadas a praticarem o pilates. No entanto, as mamães que já o praticavam antes de engravidarem, podem continuar com os exercícios desde que respeitem a recomendação médica e evitem os exercícios que podem influenciar no estado de saúde do bebê em desenvolvimento. As aulas devem ser montadas com foco no ensino dos princípios e exercícios de qualidade, deixando os de alta complexidade para um outro momento.

Segundo trimestre

Considerado como o trimestre da disposição, é nele que normalmente até as mamães sedentárias são orientadas a praticarem o pilates para gestantes. Nesta fase, existem uma variedade de exercícios que podem ser trabalhados. Os exercícios que trabalham o abdômen ajudam a proteger a coluna e evitar a diástase abdominal. Já os exercícios com foco nos membros inferiores aliviam a retenção de líquidos e inchaço.

No entanto, exercícios como os que utilizem o decúbito dorsal não devem ser realizados por mais de 5 min, pois podem comprimir a veia cava e comprometer a circulação.

Terceiro trimestre

Neste momento, a mamãe está com a barriga ainda maior e seus movimentos são limitados. Exercícios de respiração, fortalecimento muscular da pélvis, alongamentos e exercícios que estimulam o relaxamento do assoalho pélvico são super benvindos e devem ser continuados.

Ao se aproximar do final da gestação, o foco devem ser os alongamentos das musculaturas da região da pélvis, como a posição de cócoras. Nesta fase, esses exercícios estimulam a abertura da pelve, ajudam a gestante a se preparar para o grande dia e incentivam o parto normal.

Benefícios do pilates para gestantes

A gestação é sem dúvidas um dos momentos que contém as mudanças mais intensas na vida de uma mulher. Sendo assim, o pilates para gestantes é recomendado por médicos e especialistas, afim de amenizar essas mudanças e ajudá-la a se preparar para um parto bem sucedido. A seguir, confira alguns dos principais benefícios do pilates para gestantes:

  • Respiração: o trabalho de respiração realizado durante os exercícios de pilates melhoram os padrões respiratórios, diminuem a sensação de cansaço, ativam os músculos do tronco e abdômen ao respirar profundamente, melhoram a consciência corporal e ajudam a acalmar.
  • Abdômen e assoalho pélvico fortalecido: o pilates para gestantes trabalha os músculos abdominais superficiais e ativa o músculo transverso do abdômen. A ativação de todos os músculos é importante pois aliviam os desequilíbrios posturais causados pela distensão dos músculos abdominais durante a gestação. Já um assoalho pélvico fortalecido melhora a capacidade de estirar e relaxar durante o parto, melhorando também a circulação sanguínea na região pélvica e prevenindo assim a incontinência urinária.
  • Melhora na postura: o pilates para gestantes ajuda na reeducação dos movimentos e consequentemente na melhora da postura, aliviando incômodos e dores nas costas.
  • Melhora na circulação: por se tratar de exercícios dinâmicos, melhora a circulação sanguínea, previne câimbras e inchaços.
  • Preparação para o parto
  • Fortalecimento dos membros superiores e inferiores: os exercícios tonificar e trabalham os músculos do corpo todo, ajudando a fortalecer os braços e pernas da futura mamãe.
  • Atividade física: por serem exercícios de baixo impacto, é uma ótima forma de se manter ativa durante a gestação sem sobrecarregar as articulações.
  • Bem estar físico e mental: no geral praticar atividades físicas liberam hormônios relacionados a sensação de prazer e bem-estar e com o pilates não é diferente.
  • Melhora na qualidade de vida
  • Alívio das tensões, ansiedade e estresse

Quais cuidados devo ter para praticar o pilates na gestação?

Embora os benefícios do pilates para gestantes são inúmeros, é importante salientar que alguns cuidados devem ser tomados.

Como dito anteriormente, o pilates para gestantes já pode ser praticado desde o terceiro mês. Todavia, essa recomendação é dada necessariamente para as futuras mamães que já praticavam algum tipo de atividade física antes de engravidar.

Já para as mamães sedentárias, é importante procurar por orientação médica antes de começar a praticar. Em alguns casos, a prática do pilates pode ser recomendada apenas depois que o bebê nascer.

Agora se você está liberada para praticar o pilates na gestação, evite ou tome mais cuidado ao praticar alguns exercícios, como por exemplo: os exercícios de rolamento, flexões de tronco ou abdominais. Estes exercícios em especifico requerem movimentos que podem aumentar a pressão intra-abdominal e causar problemas com o assoalho pélvico. Além de expor a gestante ao risco de ter uma diástase dos retos abdominais, que nada mais é do que uma separação dos feixes dos músculos abdominais. Logo, é bom evitar.

Outros exercícios que devem ser evitados são os exercícios que requerem apoio do peso sobre os punhos ou articulações. Por conta da hiperfrouxidão ligamentar causada pelo hormônio relaxatina. Basicamente, o hormônio está em ativa durante toda a gestação e atua relaxando os ligamentos na pelve, suaviza e ajuda a alargar o colo do útero.

Mas fique tranquila! Na maioria dos casos, as gestantes são instruídas pelos seus próprios médicos e especialistas à praticarem o pilates na gestação sem medo. O que por sua vez, traz inúmeros benefícios para a saúde da nova mamãe e para uma gestação super saudável. Já em casos específicos, o pilates na gestação deve ser evitado a qualquer custo. Para saber mais, confira a seguir algumas contraindicações para a pratica.

Pilates na gestação: contraindicações

A prática do método pilates para gestantes possui inúmeros benefícios que são grandes atrativos. Todavia, existem algumas contraindicações que devem ser consideradas. E embora sejam relativas, é importante ter o aval do seu médico para iniciar a prática sem problemas. Já que apenas um profissional poderá avaliar os benefícios do pilates para cada caso e então recomendá-los de acordo com cada perfil.

Em síntese, qualquer mamãe que se encontre saudável com uma gestação normal pode praticar o pilates para gestantes. Todavia, apresentar um ou mais dos sintomas listados a seguir podem indicar um possível impedimento. Por isso, vale a pena consultar um especialista.

Se você sofre, já se sentiu ou apresentou algum ou alguns dos sintomas a seguir, é melhor postergar o início das aulas!

  • Hipertensão;
  • Falta de ar;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Dor abdominal;
  • Contrações fortes;
  • Dor no peito;
  • Gestação de alto risco;
  • Parto prematuro;
  • Sangramento vaginal;
  • Risco de aborto;
  • Doença cardíaca ou pulmonar pré-existentes;
  • Dores fortes nas costas sem causa determinada.

Nestes casos, uma recomendação e indicação médica é imprescindível para que a nova mamãe pratique o pilates para gestantes com segurança. Sendo que, em muitos dos casos, a recomendação médica é para não praticar nenhum tipo de atividade física que possa comprometer o estado de saúde do bebê e da gestante.